Batalha: cirurgiã é acusada de extrair dentes de criança sem necessidade

29 Novembro, 2018 19:300 comentários

O Ministério Público do Piauí, por meio do promotor Raimundo Nonato Ribeiro Martins Júnior, abriu um procedimento com o objetivo de investigar a conduta de uma cirurgiã-dentista, que extraiu dois dentes permanentes de uma criança em Batalha. A denúncia foi feita na última segunda-feira (26) pela mãe da paciente.

Imagem meramente ilustrativa

O promotor explicou que recebeu uma notícia de fato, oriunda do termo de declaração de Ana Paula Martins Mendes, mãe da menor Ana Luiza Martins de Almeida, de 6 anos de idade, sobre possível negligência médica por parte da dentista Valéria Veras Nogueira que, no dia 19/11/2018 teria extraído dois dentes permanentes da menor, sendo que a criança teria ido à dentista para extrair um dente de leite amolecido.

Conforme a denúncia, durante o procedimento odontológico, a dentista teria extraído os dois dentes incisivos centrais inferiores. A principal função deles é cortar o alimento durante a mastigação. Eles possuem outra tarefa importante: estética e fala.

O promotor determinou envio de ofício à Secretaria Municipal de Saúde requisitando, no prazo de 10 (dez) dias úteis, que sejam informadas quais medidas administrativas foram tomadas, em especial as decorrentes do poder disciplinar. O município de Batalha é governado pelo prefeito João Messias Freitas Melo (PP).

O representante ministerial, determinou ainda a notificação da cirurgiã-dentista para, querendo, apresentar respostas aos fatos mencionados no prazo de 10 dias de sua notificação.

Outro lado

Procurada pelo Folhadebatalha.com.br na tarde desta quarta-feira (29), a cirurgiã-dentista Valéria Veras Nogueira enviou uma Nota dando sua versão sobre a suposta negligência médica. Confira abaixo:

Gostaria de prestar esclarecimento sobre o incidente ocorrido no dia 19/11 no centro de especialidades de Batalha. Naquela manhã fui designada pelo coordenador de saúde bucal para atender pacientes do meu psf que residem mais próximo ao centro. A primeira paciente que prestei atendimento foi uma criança acompanhada de sua avó, realizei exame clínico e de acordo com as informações passadas pela responsável da criança, realizei exodontia. Ao final do procedimento entreguei os elementos dentários a avó. No dia seguinte, os pais da criança vieram procurar a secretaria E reclamaram sobre extração realizada de forma errada, a mãe foi muito agressiva, usou palavras de baixo calão e insinuou que eu estaria trabalhando bêbada ou drogada, não me deixando em nenhum momento prestar algum esclarecimento sobre o caso. Disseram ainda que tiveram que buscar ajuda profissional em outra cidade para reimplantar o dente. O reimplante foi realizado em menos de 24horas o que favorece o reestabelecimento das fibras do ligamento periodontal. Em seguida os pais foram conversar com a Secretária. Apesar de ter a consciência tranquila quanto a conduta e o procedimento realizado, me coloquei a disposição para ajudar e acompanhar o caso, inclusive o profissional que realizou o reimplante faz parte também da equipe odontológica de Batalha e se colocou à disposição para acompanhar o caso. Lamento o incidente mas a minha conduta foi pautada na história clínica relatada pela avó. Sigo a disposição da paciente, entrei em contato para saber informações do caso mas ainda não obtive respostas.”

Deixe um comentário nesta matéria

You must be logged in to post a comment.