Briga entre Sindserm e Prefeitura ganha novo capítulo

21 Janeiro, 2015 19:261 comentário 13 views

Sede-do-Sindicato-de-BatalhaA briga envolvendo o Sindicato dos servidores municipais, comandado por Raimundo Nonato Firme da Silva, e a Prefeitura de Batalha, dirigida por Teresinha Alves(PSB), ganhou novo capítulo na última segunda-feira.

O Sindicato acusa a administração municipal de suspender novamente as contribuições dos servidores filiados ao SINDSERM e ingressou com uma petição judicial(cópia logo abaixo) comunicando a juíza do descumprimento de uma liminar afim de que seja restabelecido o recolhimento das contribuições.

Confira na íntegra a nota enviada a redação do Portal Folha de Batalha:

A Prefeitura Municipal de Batalha, Estado do Piauí suspendeu as contribuições dos servidores filiados ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Batalha mais uma vez e não há explicação legal para essa suspensão, uma vez que a justiça já concedeu liminar determinado o recolhimento das contribuições mensais dos servidores e passar para a entidade sindical através de conta bancária.

A primeira suspensão feita pela prefeitura em março de 2014, ganhamos na justiça em julho e em agosto foi feito o recolhimento novamente até novembro, quando em dezembro sem alterações na última decisão judicial que obrigou ao recolhimento, deixou de recolher, o que prejudica aos trabalhos da entidade, pois é das contribuições que o sindicato vive e trabalha para defender os interesses dos servidores. No momento a conta bancária da entidade está com saldo negativo, devido à falta das contribuições dos servidores que não foram recolhidas.

Imagina-se que, esta seja uma maneira que a prefeitura encontre para tentar enfraquecer a entidade sindical, pois já tentou de todas as maneiras mão não conseguiu. O sindicato através da assessoria jurídica entrou com petição judicial comunicando à juíza local o descumprimento de liminar afim de que seja restabelecido o recolhimento das contribuições mensais. Ainda em 2014, o sindicato através da assessoria jurídica pediu à juíza que determinasse o recolhimento das contribuições referentes aos meses de março a julho, uma de cada vez, ou seja, parceladamente para não alterar o orçamento pessoal do servidor.

Att. Prof. Nonato Silva

Presidente

 Processo 1 (2)

Processo 1 (1)

1 comentários

  • Estas atitudes da administração local já tá passando de todos os limites tolerável. Nada justifica suspender o desconto das contribuições sindicais, afinal de contas,quem paga é o servidor.
    Tantas coisas importantes para se preocuparem, fica a administração municipal feito menino birrento.

Deixe um comentário nesta matéria

You must be logged in to post a comment.