Combate ao câncer depende de toda a sociedade, afirma Inca

4 Fevereiro, 2019 11:200 comentários

Ações que reforçam a importância de a população se envolver na prevenção e no tratamento do câncer vão marcar o Dia Mundial do Câncer, celebrado nesta segunda-feira (4). No Brasil, a campanha “Eu sou e eu vou”, do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), pretende mostrar que o combate à doença não depende apenas dos profissionais de saúde. 

Câncer de mama deve atingir cerca de 60 mil mulheres por ano entre 2018 e 2019 – Foto: Arquivo/Agência Brasil

“Todos os setores da sociedade potencialmente podem contribuir. Seja pela redução dos fatores de risco ambientais (poluição, alimentação pouco saudável etc.), seja na consciência sobre o câncer, que potencialmente pode afetar qualquer indivíduo”, afirma Gélcio Mendes, diretor substituto do instituto.  

Além de conscientizar sobre o papel da sociedade no enfrentamento à doença, a data também é uma oportunidade para discutir as condições das pessoas que sobreviveram ao câncer, de que forma a doença afetou suas vidas e o impacto nas famílias.  

Próstata e mama 

Segundo estimativas do Inca, no biênio 2018-2019, os cânceres de mama e de próstata serão os tipos mais comuns no Brasil, excluindo o câncer de pele não melanoma. Durante esse período, estimam-se 68.220 casos novos de câncer de próstata por ano. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.  

Para o de mama, estimam-se 59.700 casos novos para cada ano, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.  

Prevenção 

Renta Maciel, sanitarista da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede do Inca, explica que mudanças nos hábitos de vida são as principais formas de prevenir essas e outras formas do câncer. Por isso, é importante manter uma alimentação saudável, realizar atividade físicas, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas. 

Para se prevenir do câncer de mama, o Inca recomenda a realização da mamografia em mulheres entre 50 a 69 anos a cada dois anos. Para o câncer de próstata, não há recomendação para o rastreio, pois a realização dos exames de rotina pode causar mais danos que benefícios. O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde não indicam que homens sem sinais ou sintomas façam exames como o de toque retal, por exemplo. 

“A estratégia recomendada para os homens é o diagnóstico precoce, que consiste na investigação de sinais e sintomas desse câncer, sendo os mais comuns: dificuldade de urinar; demora em começar e terminar de urinar; diminuição do jato de urina; necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite e presença de sangue na urina”, afirma Renata.  

Esse tipo de diagnóstico também é recomendado para o câncer de mama, que apresenta como principais sinais e sintomas: presença de nódulo (caroço) fixo e indolor na mama ou axila; pele da mama com aspecto de casca de laranja; saída de líquido anormal das mamas. 

“A população deve estar alerta e procurar a unidade de saúde prontamente à percepção de qualquer desses sintomas, principalmente os homens, que estudos apontam a demora na procura do cuidado em saúde, devido a questões culturais”, conclui a sanitarista.  

Tratamento 

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento gratuito contra o câncer. Atualmente, são 288 unidades e centros de assistência habilitados para atender pacientes com a doença. Todos os estados brasileiros têm pelo menos um hospital oncológico, onde é possível realizar exames e cirurgias mais complexas. Confira aqui a lista das unidades da rede do SUS especializadas em câncer. 

Deixe um comentário nesta matéria

You must be logged in to post a comment.