Conseguiram acabar com anos de tradição!

17 Janeiro, 2017 10:119 comments

WP_20161224_20_49_48_ProEm um e-mail enviado ao site Folha de Batalha, o leitor Reginaldo Pereira, relata sua indignação com as mudanças adotadas pelos organizadores dos festejos religiosos da cidade de Batalha (PI). Confira!

“Antigamente o Festejo de Nossa Senhora de Lourdes, no mês de agosto e de São Gonçalo, no mês de dezembro, eram comemorados na praça onde atualmente existe o coreto. As barracas eram de palhas, as mesas postas sobre o campinho que lá existia e os leilões ficavam no centro do campo, acompanhado pela banda de música. Essas barracas de palhas duraram por anos e anos, fazendo delas uma marca registrada dos festejos.”

“Toda sociedade se reunia nesse local após a missa. Durante a celebração religiosa e o leilão, todos os barraqueiros respeitavam o momento. Não havia música. Já durante o leilão, as pessoas, sentadas em suas mesas, bebiam suas cervejas e arrematavam as joias, que eram consumidas no local ou levadas para casa. Após o termino do leilão, a festa continuava até o raiar do sol.”

FestejosdeBatalha_002

“O fim das famosas barraquinhas foi decretada no governo do ex-prefeito Amaro Melo, ao construir no local a praça do coreto, onde ao invés das barracas de palhas, foram instaladas stands que ficavam localizados no meio da rua, e as cadeiras e mesas foram colocadas na praça, que, devido a sua arquitetura, tais mesas ficaram imprensadas, não dando espaço para passagem. Como também, de certa forma, expulsaram os vaqueiros daquele local, fazendo eles se deslocarem para o CCI, logo após a missa que leva o nome dessa profissão. Se a intenção do ex-prefeito foi de modernizar o padrão, ele conseguiu matar o glamour da festa.”

“Na época, o Sr. Prefeito justificou a mudança dizendo que as barracas de palha não ofereciam nenhuma segurança. Se uma fagulha de foguete ou mesmo do fogareiro que preparava o alimento, atingisse uma daquelas palhas, poderia iniciar um incêndio bastante grande.”

“A pá de cal que enterrou definitivamente as tradições dos festejos veio da diocese de Parnaíba, não permitindo a venda de bebidas alcoólicas durante os festejos, e para piorar ainda mais a situação, o pároco do município não aceitou que as stands ficassem no lugar que sempre estiveram as barracas, fazendo com que os barraqueiros se deslocassem para a praça da sapucaieira, local este desaprovado pelo público e transformando em um verdadeiro espaço vazio. Os defensores dessa mudança afirmam que festa religiosa não pode haver bebidas alcoólicas. O que não se entende desta tese é por que depois de tantos anos, só agora essa medida foi tomada? Demoraram mais de 200 anos para só agora perceber isso? Se antes não havia mal nenhum, porque agora há?”

“O certo é que dessa forma, o que antes era festejado, hoje é lamentado por muitos. Aqui jaz uma tradição. Quem viu, viu, quem não vi, não verá mais o quanto era bom os festejos de Batalha.”

Batalha - agosto2009

 

9 Comments

  • Nonato Silva

    Sr. Reginaldo, o sr. Católico?
    Participou de alguma missa na igreja matriz?
    Entende de liturgia oficial da Igreja Católica?

  • Max Emiliano

    Só acho interessante que em outras paróquia os festejos existem barracas com venda de bebidas alcoólicas. E porquê nunca foi exposta essa autorização vinda dá diocese de Parnaíba assinada pelo bispo? O mais interessante é que foi no ano dá misericórdia que foi tomada essa decisão não levando enconta que na época dos dízimo baixo esses mesmos barraqueiro ajudavam na arrecadação dá paróquia com suas taxas e participação no leilão. Não estou aqui querendo criar polêmica mas sim deixa a falta de planejamento para uma mudança tão significativa.

  • Nenhuma postagem ou comentário sobre a temática trabalhada no festejo..
    Nenhuma postagem sobre o aumento do número de caravanas e visitantes pra nossa Terra..
    Nenhuma postagem sobre o aumento do número de pessoas engajadas..
    Nenhuma postagem sobre o projeto social apresentado pelas Irmãs FSA sobre os idosos, os retiros, as missões..
    Enfim, nenhuma postagem ou comentário sobre o que realmente é ESSENCIAL no festejo, que tem por objetivo proporcionar um encontro pessoal com o Senhor em um retiro espiritual de 10 dias, para proporcionar uma conversão pastoral!
    Percebe-se daí que pra muitas pessoas o festejo, que é promovido pela Igreja, resumia-se apenas às farras.
    O grau de sucesso de um Festejo por essas pessoas era medido pelas bandas e as bebidas. Esse jamais foi o objetivo da Igreja! Percebe-se então que a festividade religiosa estava sendo deturpada na mente de muitos e mudando o foco.
    Que os festejos a partir de agora proporcionem mais conversão!
    Que as pessoas preocupem-se mais com a Salvação de suas almas, que é o essencial, do que com distrações que deturpam o real sentido da festividade religiosa.
    E mais, nenhum comentário ou postagem sobre o aumento da beleza e participação da Liturgia nos festejos dos últimos anos..
     Isso só mostra o quão sábia foi essa decisão. Como dizia São Pio X: “A doutrina Católica nos ensina que o primeiro dever da caridade não está na tolerância das convicções errôneas, por sinceras que sejam, nem na indiferença teórica ou prática ao erro ou vício em que vemos mergulhados nossos irmãos… Se Jesus foi bom para os transviados e pecadores, não respeitou suas convicções errôneas por sinceras que parecessem; amou-os a todos para instruir, converter e salva-los”

  • Acabaram com tudo, e quando abrimos a boca. A pergunta é “Você participou de alguma novena” Já participei de muitas com barracas de palha barracas de plástico e vocês não abriam a boca pra perguntar se nos participamos de alguma Missa. Os festejos que era bom animados, bons leilões agora se tornou bagunça, sujeira em todo centro. Missa é Missa barraca fica bem distante… Outra em Esperantina tentaram fazer o mesmo e não conseguiram. Esperantina é um lugar esperto. O que era tradição virou bagunça paroquial tchal tradição. Era uma vez Batalha Piauí.

  • Como católica atuante concordo totalmente com essa decisão da diocese, pois um evento que busca a evangelizaçao das pessoas ñ pode promover vendas de bebidas alcoólicas que tanto destrói vidas e famílias.
    Se antes ñ foi tomado essa decisão talvez pq o homem ñ tinha nas uma arma tão destruidora como uma moto q tira vidas e deixa tantas família chorando e antes dessa decisão muitos eram os acidentes q ocorriam no período do festejo e diziam que a pessoa estava no festejo. manchando assim a imagem de Nossa religião.
    Lamento o seu ponto de vista “tradições muito mais importantes e fundamentais pra vida do ser humano já foi deixada pra trás”

  • Não podemos deixar isso ir p frente

  • Festejo é pra rezar,se aproximar mais de deus. Quem quizer beber e farriar tem muitos bares na cidade é so escolher um e aproveitar

  • A República Brasileira é um Estado LAICO, onde predominam as vontades individuais reguladas pela Lei e não preceitos de ordem religiosa, que se restringem ao campo da moral, que é de ordem subjetiva.
    Portanto, é dado ao cidadão brasileiro NÃO se abster de realizar qualquer ato em virtude de dogma religioso, sendo qualquer que seja ela, DESDE que não venha a atrapalhar os cultos ou celebrações daqueles que os pratica.
    Se as barracas NÃO forem colocadas em local que atrapalhe a missa ou NÃO for utilizado som que atrapalhe o momento da celebração, não há nada de irregular a comercialização de qualquer produto que não seja proibido por lei.

    Em suma: quem quer rezar, vai para igreja, quem quer beber, vai para as barracas. Rsrs

  • Bonita a intenção, mais na prática, os batalhenses ficam divididos… Pois todos buscam a Deus… Mais também buscamos um pouco de diversão.
    As barracas estando lá ou não, quem quer ir à missa vai e ponto. A renda arrecardada pelos barraqueiros é tão honesta quanto qualquer outra! A diferença é que tem quem ‘saiba’ beber e se manter consciente dos seus atos.. outros não. Sendo assim, não acho correto excluir os barraqueiros de toda a comemoração que é o festejo de dezembro. Sendo também que maioria *Deles(barraqueiros) participam da igreja e por sua vez são Dizimistas! E acima de tudo têm Fé em Deus!

Deixe um comentário nesta matéria