Secretário de W.Dias investiga a si próprio nos R$ 800 mil de grana das emendas da ALEPI

11 Maio, 2017 18:411 comentário

QUEM PAGOU  –  Gessivaldo Isaías, secretário de Trabalho e Empreendedorismo, abriu investigação contábil para apurar se houve prejuízo aos cofres públicos em um pagamento de R$ 800 mil assinado por ele mesmo.

Na terça-feira(09), foi publicada portaria do Secretário de Trabalho e Empreendedorismo, Gessivaldo Isaías, abrindo Tomada de Contas Especial para apurar o valor do dano, identificar responsáveis e apurar fatos referente ao convênio 001/2015 que ele mesmo assinou para liberar emendas parlamentares para o INSTITUTO PARA INFÂNCIA E ADOLECÊNCIA – FCAMC. O empenho foi assinado pelo próprio Gessivaldo Isaías, ou seja, não está descartada a responsabilização do próprio secretário.

LEIA TAMBÉM:

SESAPI TAMBÉM APURA PREJUÍZO EM R$ 4 MILHÕES PARA A MESMA FCAMC

EMPENHO:

mard1

Na nota do empenho é possível ver os nomes dos deputados que direcionaram as emendas: MAURO TAPETY, JOÃO MADSON, BELÊ E MARDEM MENESES.

A apuração é uma obrigação legal e será cobrada pelo Tribunal de Contas do Estado. A portaria do Pastor Gessivaldo tem o nome dos servidores que ele mesmo escolheu para compor a comissão da Tomada de Contas e apurar o provável prejuízo causado e os seus responsáveis. Confira abaixo:

gessivaldoportaria

NÃO FOI POR FALTA DE AVISO – Muita coisa estranha acontece nesse Piauí, que só são reveladas por causa da obrigação legal de tornar os documentos públicos. Graças a transparência pública, do acesso a documentos, a sociedade foi alertada em 2015 de que o governo do PT-PI estava liberando milhões dos cofres públicos, através de emendas parlamentares, para ONGs  e fundações sem nenhuma qualificação técnica para a realização de treinamentos, palestras, eventos e outros serviços.

O resultado disso chega agora para a sociedade com a falta de prestação de contas, contas reprovadas, notas fiscais suspeitas, serviços superfaturados, abertura de tomadas de contas, auditorias etc.

Somente depois da liberação de mais de R$ 11 milhões e do caso ser denunciado, o Tribunal de Contas do Estado determinou a suspensão de vários pagamentos que estavam previstos.

Código do Poder

1 comentários

  • Cláudio Meneses

    É a Raposa tomando conta do galinheiro ! E aí onde fica a população que paga impostos para manter esse pessoal

Deixe um comentário nesta matéria