Caso Lucídio: advogado de Geraldinho tem cinco dias para apresentar alegações finais

17 Agosto, 2017 19:071 comentário 2 views

A Juíza de Direito Lidiane Suely Marques Batista, da Vara Única da Comarca de Batalha, deu prazo de cinco dias para que a defesa de José Geraldo Marques da Silva Filho, 34 anos, mais conhecido como Geraldinho, apresente as suas alegações finais (memoriais) ao processo. O despacho foi divulgado nesta quinta-feira (17) no Diário Eletrônico de Justiça.

Advogado Criminalista Ezequiel Miranda Dias

Caso a defesa não se manifeste, o acusado será intimado para constituir novo procurador, no mesmo prazo, o qual deve apresentar a referida peça processual. Não apresentado ou não constituído o procurador, será nomeado defensor público em atuação na comarca para apresentar os referidos memoriais, no prazo mencionado.

Geraldinho é acusado de atropelar e matar o motociclista Lucídio de Carvalho Silva, de 21 anos, no dia 8 de agosto de 2016.

A fase de instrução do processo criminal que apura o suposto homicídio foi encerrada no dia 25 de novembro de 2016, quando houve o interrogatório do réu. Com isso, foi aberto prazo para que acusação (Ministério Público) e a defesa do réu José Geraldo Marques da Silva Filho apresentassem os memoriais.

A magistrada aguarda as alegações finais do advogado de defesa, Ezequiel Miranda Dias, para então decidir se Geraldinho vai a júri popular, ou não.

A alegação final é a peça principal a ser apresentada após toda a fase de diligências já realizadas em torno do processo.

Leia mais:

Batalhense recebe voz de prisão no hospital em Teresina

Geraldinho é indiciado por homicídio qualificado, embriaguez ao volante e conduzir veículo sem habilitação

Após audiência juíza manda soltar Geraldinho

1 comentários

  • Essas leis brasileiras só beneficiam o criminoso, se não vejamos, partindo do princípio do direito de defesa, do crime cometido já se sabe quem é o autor,a vítima, existe testemunhas, o estado em que o autor se encontrava(conduzindo um veículo automotor sobre efeito de alcool), foi crime doloso com plena intenção de matar e aí existe a lei que dar direito a autor do crime não ser punido,ou melhor, se safar de um crime que está mais do que provado.
    Resumindo: as leis incentivam e beneficiam criminosos e isso com certeza só gera mais violência.

Deixe um comentário nesta matéria