Juiz suspende direitos políticos de Sílvio Mendes por três anos. É a 2ª condenação

21 Setembro, 2017 1:020 comentários 6 views

CONTRATAÇÕES IRREGULARES – Assim como já aconteceu com o ex-prefeito Elmano Férrer, o ex-prefeito de Teresina Sílvio Mendes também foi condenado (pela 2ª vez em três meses) pela prática de improbidade administrativa caracterizada pela contratação irregular de fisioterapeutas na Fundação Municipal de Saúde. Além dele, também foi condenado o ex-presidente da FMS, João Orlando Ribeiro Gonçalves.

A sentença é do dia 19 de setembro, assinada pelo juiz Aderson Antônio Brito Nogueira, da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública.

CONFIRA AQUI A SENTENÇA

Os réus ainda podem e devem recorrer da decisão.

Sílvio Mendes e João Orlando foram condenados à suspensão dos direitos políticos por três anos, multa civil no valor de 20 vezes da última remuneração recebida e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou creditícios direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário por 3 anos.

Sílvio agora está no PP do senador Ciro Nogueira e chegou a ser cotado para assumir o Ministério da Saúde no governo Temer. Na foto, ele acompanha o senador Ciro em reunião no ministério.

As acusações do Ministério Público são as mesmas da mesma condenação do mês de junho, quando Sílvio e o prefeito Firmino Filho foram condenados, ou seja, a contratação irregular sem concurso público de fisioterapeutas.

Em sua defesa, os gestores informaram que não houve dano, nem dolo. Porém, o magistrado considerou que os dois descumpriram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o Ministério Público.

LEIA MAIS NO CÓDIGO DO PODER

Deixe um comentário nesta matéria