Juíza condena homem que furtou objetos no Comercial Almeida em 2013

23 Outubro, 2017 15:470 comentários 0 views

A juíza Lidiane Suély Marques Batista, da Vara Única da Comarca de Batalha condenou Luis Antonio Soares da Silva, vulgo “Pregado”, a um ano e dois meses de prisão e 14 (quatorze) dias-multa, por furtar objetos de uma loja de material de construção. A pena foi substituída por prestação de serviços comunitários e pagamento de um salário de multa, a ser destinado a entidade beneficente definida pelo Juízo da Execução Penal. A sentença é de 29 de setembro deste ano.

Luis Antonio Soares da Silva, vulgo “Pregado”

Conforme a ação, “no dia 05 de dezembro de 2013, por volta das 09 horas, na empresa Comercial Almeida, localizado no centro da cidade de Batalha, o acusado subtraiu 01 (um) rolo de fio de 100 metros e 03 (três) serra-mármore marca Eccofer, avaliados em R$ 800,00”.

Por ocasião dos fatos, o denunciado, aproveitando-se do fato de que no Comercial Almeida há grande movimentação de pessoas no depósito de mercadorias, e visualizando a porta do depósito aberta, adentrou àquele local, apoderando-se, primeiramente, de 01 (um) rolo de fio elétrico de cem metros. Poucos dias depois, o denunciado, novamente, apoderou-se, da mesma forma, de 3 (três) serra-mármore de marca Eccofer.

Após verificar as imagens das câmeras de segurança, o gerente da loja, Antonio Pedro de Almeida constatou que realmente alguém havia adentrado e furtado bens do local. Ele acionou a polícia e o acusado foi identificado.

Em seu interrogatório o réu confessou que entrou umas duas vezes no estabelecimento a fim de furtar bens para comprar drogas, tendo em vista que é viciado. Acrescentou que não chegou a vender, deixou os bens escondidos e disse para a sua irmã onde estavam para que pudessem ser devolvidos à loja.



Deixe um comentário nesta matéria