Estudantes de Batalha visitam Museu de Arte Sacra em Teresina

10 Novembro, 2017 7:060 comentários 5 views

Com um rico acervo de objetos artísticos e religiosos, o Museu de Arte Sacra Dom Paulo Libório reúne grandes histórias que enriquecem a cultura piauiense. Mantido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, a casa recebe semanalmente visitas de grupos e escolas.

Nesta quinta-feira (09), alunos da Unidade Escolar Dirceu Arcoverde, da cidade de Batalha, passaram pela casa com o objetivo de aprender sobre o culto católico e a arte ligada a sacralidade. Segundo o professor Claudio Barros, que acompanhou sete dos seus alunos na visita ao museu, a experiência ajuda na formação dos jovens. “Acredito que esse contato, será uma experiência bastante positiva para eles. Depois, eles irão levar imagens e informações para compartilhar com os colegas”, disse.

As visitas escolares acontecem mediante agendamento no Museu e sempre com o acompanhamento de professores que desejam que os alunos adquiram maiores conhecimentos sobre a memória da cidade. A entidade também agenda visitas de grupos turísticos.

Para a diretora da casa, Maria Amélia, a entidade pública tem como objetivo promover o conhecimento e a difusão da religiosidade. “Contamos um pouco da história de arte sacra com peças de Dom Paulo Libório. Essa visita os jovens aprendem um pouco dos ritos religiosos, e ajuda na educação e conhecimento deles, que é o nosso grande objetivo, além de difundir nossa arte”, afirmou.

Museu tem acervo com mais de 2 mil peças

Há seis anos presenteando a população local e visitantes, o museu é um importante espaço cultural teresinense. É composto por aproximadamente 2.000 peças dos séculos XVII a XX.  São imagens sacras, alfaias, oratórios, paramentos e mobiliário. A casa está localizada na Rua Olavo Bilac, 1481 e funciona de segunda a sexta-feira, das 09h às 17h, com entrada de apenas R$ 1,00.

O Museu surgiu da junção de alguns pertences da Arquidiocese da cidade e de doações feitas por colecionadores da comunidade. Foi inaugurado em 15 de agosto de 2011, tendo sido  a última moradia de Dom Paulo Libório, primeiro arcebispo da cidade. Grande parte das peças expostas era de Dom Paulo, assim como os dois mil livros disponíveis na biblioteca do museu.


Fonte: Semcom

Deixe um comentário nesta matéria