Advogado Leandro Lages faz alerta para consumidores não cair nas armadilhas do Black Friday

17 Novembro, 2017 15:310 comentários 3 views

Em entrevista esta manhã ao programa Cassa Notícias da rádio Jockey FM, o advogado e especialista em Direito do Consumidor, o jurista Leandro Lages falou sobre os benefícios e também sobre os riscos de fazer compras na chamada “Black Friday”, que este ano acontece na próxima sexta-feira (24) em todo o Brasil.

Black Friday (Sexta-feira Negra, em inglês) significa o dia em que se inaugura a temporada de compras natalícias com significativas promoções e descontos em muitas lojas retalhistas e grandes armazéns. Ela ocorre no Brasil sempre um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, celebra-se no dia seguinte a ultima quinta-feira do mês de novembro.

Leandro destacou a importância do evento tanto para o comércio, que busca uma melhora nas vendas diante da crise econômica em que vive o país, pois aquece e movimenta muito a economia. E é importante também para os consumidores, pois as promoções e os descontos atraem muita gente que tentou adquirir um bem ou produto durante o ano e não conseguiu, ou serve para fazer aquelas compras antecipadas de Natal.



Por outro lado, o advogado destaca que infelizmente alguns empresários se aproveitam dessa data para particar fraudes. Fraudes essas que já se tornaram ‘comum’ principalmente nas compras pela internet. Ele cita que a mais comum é aumentar o preço do produto dias antes, para que no dia da Black Friday ele possa baixar o preço do produto e alegar que está promovendo um desconto.

Diante disso, Leandro Lages destaca alguns cuidados que os consumidores devem ter na Black Friday, são elas:

  1. “O consumidor deve comprar um bem ou produto só se ele realmente necessitar daquilo, não comprar por impulso, isso é um erro grave”.
  2. “Faça uma pesquisa de preços em várias lojas ou sites e anote para saber se realmente existe um desconto conforme o anúncio ou se trata apenas de uma propaganda enganosa”.

O advogado afirma também que uma compra efetuada pela internet, tem os mesmos direitos de uma compra realizada em uma loja física, e que inclusive nas compras pela internet é possível desistir de um produto ou se arrepender e solicitar a troca do produto ou o estorno do pagamento. Caso contrário o consumidor deve acionar o Procon ou entrar com uma ação judicial contra a loja ou site por descumprir o Código de Defesa do Consumidor.

Ouça a entrevista:

Fonte: Cassanoticias.com.br

Deixe um comentário nesta matéria