Dos 62 parlamentares eleitos pelo PT, 30 são investigados ou réus

6 Novembro, 2018 8:520 comentários

Gleisi Hoffmann – Foto Lula Marques/Agência PT

A pesquisa não levou em consideração ações de danos morais e execuções fiscais, o que aumentaria os processados para 40% do Congresso.

O levantamento feito pelo jornal Estadão envolve casos em andamento nos Tribunais de Justiça dos Estados, na Justiça Federal, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal.

O Partido dos Trabalhadores (PT) é a legenda com o maior número de políticos envolvidos em investigações e ações penais.

Entre os seus 62 eleitos nas eleições deste ano, 30 são investigados ou réus, como é o caso da presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, alvo da Lava Jato.

A ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, é uma das recordistas. Ela é alvo de processos por improbidade na Justiça do Ceará e no STJ. Sua defesa alega inocência.

O levantamento aponta que um terço do novo Congresso é acusado de crimes como corrupção, lavagem, assédio sexual e estelionato ou é réu em ações por improbidade administrativa com dano ao erário ou enriquecimento ilícito.

Leia matéria completa aqui

Deixe um comentário nesta matéria

You must be logged in to post a comment.