Justiça arquiva ação contra dono de estacionamento clandestino acusado de causar morte de criança

11 Março, 2018 16:040 comentários

A juíza da Vara Criminal de Batalha, Lidiane Suely Marques Batista, julgou extinta a punibilidade e determinou arquivamento de ação penal contra o servente de pedreiro, Hermínio José de Carvalho Neto, “Piqui”. Ele era acusado de ter ligado cabos de energia ao “pontalete” de uma unidade consumidora da Eletrobras, sem a devida licença, colocando a fiação espalhada pelo chão da via pública, causando morte da criança Maria Andressa Soares Vieira, 1 ano e 5 meses de idade.

A decisão é do dia 05 de março. “… Isso posto, declaro extinta a punibilidade de Herminio José de Carvalho Neto, na forma do art 89 § 5º da lei 9099/95…”, disse a juíza.

De acordo com os autos do processo, na noite do dia 07 de dezembro de 2013 foi montado um estacionamento clandestino com a iniciativa da cobrança para estacionar veículos nos acostamentos das vias públicas em torno da danceteria conhecida como “Show Baile”, localizada no conjunto habitacional Pedra do Letreiro, bem próximo a casa de familiares da criança.

Andressa estava brincando no local e ao tocar em um fio desencapado de extensão improvisada que estava colocada no chão sofreu a descarga elétrica. A vítima chegou a ser socorrida por familiares e levada ao hospital Messias de Andrade Melo, mas chegou sem vida à unidade. Ela teria sofrido uma parada cardíaca.

Andressa era filha do casal Carlos André Barroso Vieira e Maria Andrea Soares da Silva, e neta do já falecido Barnabé ex-vigia da Câmara de Vereadores.

Deixe um comentário nesta matéria

You must be logged in to post a comment.